Porta Corta-fogo de alta resistência: certificação e legislação

Você sabia que um dos principais equipamentos de prevenção aos incêndios é a porta corta-fogo? Com certeza você já as viu em prédios comerciais e residenciais, além de cinemas, shoppings e até mesmo em restaurantes. 

Isso acontece, porque as portas corta-fogo impedem que as chamas sejam propagadas para outro ambiente, em caso de incêndio, já que elas detêm o calor e  a fumaça. Com isso, as pessoas podem usar a rota de fuga e sair do local com segurança. 

Mas como funciona o uso dessas portas? Elas são obrigatórias em todos os lugares? Continue com a leitura e descubra mais!

Obrigatoriedade da porta corta-fogo 

As portas de incêndio são usadas desde a década de 1970, mas o uso delas só se tornou obrigatório a partir de 1983, e em edifícios com mais de quatro andares. Isso significa que um edifício só consegue liberação do Corpo de Bombeiros para funcionar se ele tiver as portas corta-fogo instaladas corretamente. 

Falando em liberação, o prédio, além da porta corta-fogo, precisa ter também, extintores e mangueiras de hidrantes para conseguir o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), documento que atesta que o local adota todos os procedimentos necessários de segurança. 

Para saber qual a estrutura da porta corta-fogo é preciso verificar a norma da ABNT  NBR 11742/2018 ,ma vez que ela determina como deve ser a porta e quantidade que o local deve utilizar.

Onde instalar as portas corta-fogo? 

Já que falamos da ABNT NBR 11742/2018, de acordo com a norma, as portas corta-fogo precisam ser instaladas em:

●     antecâmaras e escadas

●     entrada do prédio

●     áreas de refúgio

●     paredes que dividem áreas industriais de áreas comerciais

●     locais de rota de fuga

●     locais que se interligam

●     recintos de medição, proteção e transformação de energia elétrica

Qual tipo de porta corta-fogo instalar? 

As portas corta-fogo são classificadas em quatro tipos: P30, P60, P90 e P120. Cada classíficação de porta equivale a metade da resistência de uma edificação. Por exemplo, uma parede com resistência de 120 minutos deve instalar uma porta corta fogo P-60. Uma porta P-90 deve ser instalada em um local com resistência de 180 minutos. E vale lembrar que a Metalika, fabricante de porta corta-fogo há mais de 20 anos e pertence ao Grupo multinacional ASSA ABLOY Brasil, oferece uma linha completa de porta corta-fogo

Além da porta corta-fogo 

Além da porta corta-fogo, para que um prédio tenha total segurança, é preciso que a porta também tenha:

●     fechadura antipânico ou barra anitpânico

●     dobradiça com retorno por mola

●     mola aérea

Como fazer a manutenção das portas corta-fogo? 

Uma vez que as portas corta-fogo são instaladas corretamente, é preciso fazer a manutenção periódica. Ainda de acordo com a ABNT NBR 11742/2018, elas precisam ser mensais e semestrais.

Mensais 

Nas manutenções mensais é preciso verificar o funcionamento automático e se os acessórios estão funcionando - fechaduras, dispositivos anti pânico, travas, etc. 

Também é preciso fazer a limpeza no piso e batentes, remover os resíduos e objetos que possam dificultar a movimentação das partes móveis, como dobradiças, trincos e fechaduras. 

Semestrais 

A cada seis meses é preciso fazer a lubrificação das partes móveis e observar as condições gerais da porta corta-fogo, tanto em relação à pintura ou revestimento, quanto ao desgaste em si. 

Também é preciso fazer a regulagem dos elementos que não estiverem em perfeitas condições de uso ou funcionamento.

Certificações e legislação 

Além da ABNT NBR 11742/2018 que citamos ao longo do texto, existem outras normas e certificados que as portas corta-fogo precisam ter. São elas: 

●     NBR 6479:1992 - para portas e vedadores: determina a resistência ao fogo (norma em revisão);

●     NBR 13768:1997 - para acessórios destinados a portas corta fogo para saída de emergênciaaredes divisórias sem função estrutural: determina qual deve ser a resistência ao fogo;

●     NBR 16945:2021 - para classificação de resistência ao fogo de elementos construtivos e edificações;

●     NBR 11785:1990 - para barra antipânico: determina qual deve ser a especificação.